Destaque Notícias Tutoriais Windows 10 Mobile

Uma história do Windows Mobile – Parte 1

Nos dias de hoje, devido ao incrível avanço da tecnologia, vivemos numa era de ouro: PC’s, Smartphones, Relógios, Pulseiras e TV’s Inteligentes, Consolas de Jogos, e ainda os Óculos de Realidade Aumentada são apenas alguns exemplos de dispositivos que trazem imenso conforto e comodidade e são muito comuns para a maioria de nós, estando alguns presentes connosco em todo o tempo. O que eles têm em comum? A tecnologia evoluiu a tal ponto, que nos permite usar apenas um sistema para controlar todos esses dispositivos de uma maneira única, o Windows: um sistema para tudo e todos, onde somos capazes de, por exemplo, começar um jogo no telemóvel e terminar na Consola de Jogos do Windows, o Xbox, da mesma maneira que poderíamos trabalhar numa apresentação no PC e terminá-la no telemóvel, sem nenhuma dificuldade, já que todos usam apenas um sistema, que é igual e familiar.

É nesse contexto que se encontra o Windows Mobile, uma vertente do Windows para dispositivos móveis, onde a produtividade e diversão caminham lado a lado. Tudo parece muito bom mas nem sempre foi assim, acredite ou não, a tecnologia há 15 anos atrás não era nada agradável, mas para a sua época, já era algo revolucionário. Por acreditar numa informação de qualidade e pelo nosso compromisso para consigo, caro leitor, e para comemorar o 1º Ano do Windows Mobile Portugal, vamos começar hoje a contar a História do Windows para dispositivos móveis, ou pelo menos o que nós sabemos deste sistema que já tem cerca de 20 anos! Dividimos esta história em três partes para que não se perca diante de tanta informação e, portanto, irá conhece-la aos poucos, ao longo das próximas 2 semanas. Aproveite!

Windows CE – O Início antes do início

Para entender melhor o Windows Mobile temos que voltar no tempo e as origens do Windows Mobile remontam aos anos 90, em que a Microsoft começou a desenvolver o Windows CE. No início, houve especulações sobre o “CE” que acompanha o Windows. Alguns interpretaram como “Edição Compacta” e também “Electrónicos de Consumo” mas a Microsoft declarou mais tarde que “CE” não é uma abreviatura, mas representa mais as regras de orientação durante o desenvolvimento para criar um novo sistema operativo que é mais que Compacto, Conectável, Compatível, um “Companheiro” e “Eficiente”. O Sistema era principalmente utilizado em Pocket PC’s mas também foi utilizado em micro-computadores e telefones mais antigos apesar de não ser esse o foco.

A primeira versão do Windows CE foi lançada em 1996, estando apenas disponível em Inglês e era muito parecida com o Windows 95, mas não pôde ser utilizada por qualquer fabricante de hardware, e poucas empresas quiseram trabalhar com a Microsoft e o seu mais novo sistema até então. Isto, acrescentado aos vários problemas e limitações da versão inicial do Windows CE, levou a que existisse pouca adesão ao sistema operativo, e por isso não foi uma grande surpresa que o Windows CE 2 tenha sido lançado apenas um ano mais tarde. O kernel do Windows CE (que é o núcleo do sistema, responsável por gerir os recursos do sistema e permite que os programas façam uso deles) serviu de base ao sistema operativo móvel da Microsoft por vários anos. Uma curiosidade é que este Kernel só precisava de um mínimo de 4 MB de ROM (armazenamento) e de apenas 2 MB de RAM para funcionar.

O Windows CE 2 representou uma melhoria significativa do sistema operativo. Para além de corrigir vários problemas da primeira versão, a língua alemã estava agora disponível e o sistema também passou a poder ser utilizado pelos fabricantes de hardware da forma que mais desejassem. Baseado no Windows CE 2, a Microsoft lançou algumas versões do seu Handheld PC, que agora apresentavam ecrãs a cores. Também baseado no Windows CE 2, vimos os primeiros dispositivos verdadeiramente móveis, conhecidos como Palm-size PC.

Os Palm-size PC não foram muito bem-sucedidos, mas isso não impediu a Microsoft de continuar a investir no seu sistema operativo móvel (Graças a Deus). Por isso, no arranque do novo milénio, vimos a Microsoft a disponibilizar o PocketPC 2000, inicialmente designado com o nome de código “Rapier” e que foi baseado no kernel do Windows CE 3.0, que é considerado a primeira versão do que se viria a chamar mais tarde de Windows Mobile. O PocketPC 2000 tinha um ecrã inicial, designado de “Hoje”, que colocava ênfase em todo o tipo de eventos e tarefas que o utilizador tivesse nesse dia, tanto a nível pessoal como profissional. Várias aplicações foram actualizadas como o Windows Media Player que foi actualizado para a versão 8, incluindo agora suporte para streaming, o Pocket Word passou a incluir verificação ortográfica e contagem de palavras, o Pocket Outlook foi também melhorado, bem como o Pocket Internet Explorer, que passou a permitir fazer download de ficheiros e também foi feita a inclusão do MSN Messenger.

Windows Mobile – O Início Oficial

Foi  somente em Junho de 2003 que a Microsoft lançou a primeira versão do sistema operativo com o nome Windows Mobile (mas que ainda estava longe de ser a versão que conhecemos, diga-se de passagem). O Windows Mobile 2003 foi disponibilizado em 4 edições diferentes: Windows Mobile 2003 para o Pocket PC Premium Edition, a edição mais comum, Windows Mobile 2003 para o Pocket PC Professional Edition, uma edição com menos funcionalidades para dispositivos PocketPC mais baratos,  Windows Mobile 2003 para o Pocket PC Phone Edition, concebido especialmente para dispositivos Pocket PC com funcionalidades de telemóvel e Windows Mobile 2003 para Smartphones.

Embora o Windows Mobile 2003 seja baseado na versão 4.20 do kernel Windows CE, a mais recente daquela época, apresenta uma lista de novidades relevante porém relativamente pequena. As funcionalidades Bluetooth foram largamente melhoradas para permitir a gestão de dispositivos, transferência de ficheiros, e a utilização de acessórios como auriculares e teclados Bluetooth. Também foi adicionada uma aplicação que permitia ver, recortar e enviar as imagens. Há ainda o Windows Media Player que foi actualizado para a versão 9, que incluía melhorias nas capacidades de streaming, uma nova versão do Pocket Internet Explorer, Pocket Outlook (que passou a suportar vCard e vCal) e também pela primeira vez foi criada uma API para permitir a criação de jogos para a plataforma. Na versão “Phone Edition”, o Windows Mobile 2003 permitiu pela primeira vez usar sons com o formato MIDI como tons de toque e opções de resposta a SMS.

Em 2004 foi lançada a segunda versão do Windows Mobile 2003, chamada de Windows Mobile 2003 SE (Second Edition). Esta actualização inclui algumas melhorias como modos de visualização horizontal e vertical, uma vista de coluna única no Pocket Internet Explorer, a adição de tecnologia WPA (Wi-Fi Protected Access), mais segura que a WEP, e suporte para mais resoluções de ecrã.

Uma verdadeira nova versão do Windows Mobile chegou em 2005 por nome de Windows Mobile 5, a primeira versão a não incluir o ano de lançamento no nome, sendo que 5 é também a versão do kernel Windows CE que suporta o novo sistema operativo. O Windows Mobile 5 apresenta uma lista de novidades extensa, que passa por funcionalidades básicas até às mais avançadas e podemos citar diversas delas, como melhorias relacionadas à duração da bateria graças à utilização de armazenamento persistente, ao invés de armazenamento em memória RAM (Memória de Acesso Aleatório) que requeria que alguma da capacidade da bateria fosse reservada para a conservação de dados armazenados. Assim, apenas os programas a serem executados e dados a serem usados seriam armazenados na RAM, ficando tudo o resto guardado na memória ROM (Memória Somente de Leitura), e os dados movimentam-se entre as duas memórias conforme necessário. Outra vantagem desta mudança é que mesmo que o dispositivo fique sem bateria, não são perdidos dados. Talvez por este motivo o Windows Mobile 5 requer 64Mb de memória ROM, sendo também recomendado que tenha também 64Mb de memória RAM. Como a tecnologia de processadores móveis começava a ficar mais consolidada, esta versão do Windows Mobile requeria processadores com a arquitectura ARM, que ainda é utilizada em telemóveis hoje em dia.

Incluída com o Windows Mobile 5, a Microsoft disponibilizou uma nova versão das aplicações Office, desta vez chamada “Microsoft Office Mobile”, ao invés do nome Pocket Office, que foi usado até então. O Microsoft Office Mobile inclui versões “Mobile” do Word, Excel e do PowerPoint, que nunca tinha aparecido em versões anteriores do sistema operativo. A gestão de multimédia foi facilitada com a aplicação Picture and Video, e o Windows Media Player foi actualizado para a versão 10, a funcionalidade Bluetooth foi melhorada, foi adicionada uma interface de gestão de GPS, foi adicionada uma funcionalidade que permite enviar relatórios de erros para a Microsoft, semelhante ao existente no Windows para computadores, passou a ser possível associar uma fotografia a um contacto para que essa aparecesse quando fosse recebida uma chamada desse contacto, a API DirectShow foi adicionada de forma nativa pela primeira vez, e a tecnologia DirectDraw substitui a API de jogos introduzida no Windows Mobile 2003. Finalmente, foi adicionado o Pocket MSN, que é visível no ecrã “Hoje”. Aos poucos vemos o Windows Mobile tomando forma e se aproximando de tudo que ele é hoje.
Em 2007, acompanhando o lançamento do Windows Vista para computadores, a Microsoft anunciou o Windows Mobile 6, que adoptou um design muito semelhante à versão para computadores e também está profundamente ligado a outros serviços introduzidas na mesma altura pela Microsoft, como o Windows Live. Baseado na versão 5.2 do kernel Windows CE, embora seja semelhante à versão anterior em termos de funcionalidades, apresenta melhorias significativas em termos de estabilidade.
Incluído com o Windows Mobile 6 foi disponibilizado também uma nova versão do Office Mobile, agora na versão 6.1, que além de alguns melhorias às aplicações já existentes incluiu também o OneNote Mobile pela primeira vez.
O .NET Compact Framework passou a ser incluído no sistema operativo e foi actualizado para a versão 2 SP2. Com a nova versão de sistema operativo foram também incluídos várias melhorias, como o suporte para novas resoluções de ecrã, melhorias na utilização de ambientes de trabalho remotos, e suporte para a tecnologia celular UMA, em alguns operadores.
O Windows Mobile 6 recebeu duas actualizações marcantes: O Windows Mobile 6.1, revelado a 1 de Abril de 2008 e trouxe algumas melhorias à performance e estabilidade e também pequenas novidades como zoom em páginas no Internet Explorer Mobile. A performance do serviço ActiveSync também recebeu algumas melhorias, melhorando o consumo de bateria em 40%.
O Windows Mobile 6.5 foi uma actualização relativamente grande que visou trazer algumas das funcionalidades que a Microsoft pretendia incluir mais tarde, no “Windows Mobile 7″, que acabou por não ser lançado, dando lugar ao Windows Phone 7. A actualização para Windows Mobile 6.5 incluía um menu com aspecto muito diferente, semelhante ao que até então se tinha visto no software Zune, mostrado várias opções em tamanhos de letra grandes entre os quais se deslizava. Esta opção de design tinha como objectivo facilitar o uso do ecrã com os dedos, mas a Microsoft recebeu críticas pela inconsistência da interface, que muitas vezes tornava a utilização muito complicada usando apenas os dedos.
O Windows Mobile 6.5 trouxe melhoramentos como uma nova versão do Internet Explorer Mobile, com uma nova interface, e uma variedade de serviços na nuvem, como o My Phone e o Windows Marketplace for Mobile e chegou ainda a receber duas pequenas actualizações com algumas novidades. O Windows Mobile 6.5.1 incluiu melhorias à interface, com novos ícones, correcções de alguns problemas com os tipos de letra e imagens, uma nova interface para as mensagens SMS, suporte para A-GPS e melhorias de performance. Já a actualização 6.5.3 trouxe suporte nativo para ecrãs multi-toque para o Windows Mobile, capacidade de arrastar os ícones do menu para diferentes posições, vários melhoramentos no Internet Explorer Mobile 6, com carregamento mais rápido de páginas, melhor uso de memória e mais, e ainda incluiu uma nova versão do Office Mobile, o Office Mobile 2010. A Microsoft ainda começou a trabalhar numa terceira actualização, mas o “Windows Mobile 6.5.5” nunca foi lançado oficialmente, nem o seu número de versão foi confirmado.
O sistema operacional não foi oficialmente descontinuado, mas a 09 maio de 2012 o fim da Windows Mobile Marketplace para os dispositivos moveis e a remoção de downloads no seu site oficial a 15 de Julho de 2011 tirou o contacto directo com a Microsoft.
Chegamos ao final do primeiro capitulo desta história que está apenas começando… Teve a possibilidade de viver estes momentos e tem algo a acrescentar? Não hesite em contar-nos tudo o que sabe aqui nos comentários! Espero tenha gostado, e se está perguntando: O que vem por aí? Active as notificações do site e Fique atento que em breve vai descobrir tudo sobre o nosso sistema preferido!
 A Segunda Parte da nossa história já foi lançada! Podes ver aqui!
Ah, e qualquer dúvida estamos sempre disponíveis nos nossos grupo do Facebook ou Telegram. 😉

Sobre o autor

Flavio

Brasileiro, sou fascinado por tecnologia e tudo o que ela pode me oferecer. Jogando no telemóvel ou editando arquivos no portátil, o Windows é perfeito para quem quer fazer mais. E é por isso que eu uso Windows.

  • FS

    sistema operacional? Operating System = Sistema Operativo! (PT-PT)

    • Não está de todo errado, está sim em PT-BR, porque foi um dos nossos colaboradores do Brasil a fazer este artigo. Foi alterado, mas não estaria incorrecto! Não será isso que deixará o artigo mais ou menos incorrecto 🙂

      • FS

        Se o artigo foi feito com base num artigo em inglês, mas que vai ser publicado em Portugal, deve ser traduzido nessa base. Se em Roma sê Romano, em Portugal sejam Portugueses, independente do ponto de origem do artigo ou da influência que este espaço possa ter nas comunidades Lusófonas por esse Mundo fora.

        Entendam que a critica aqui tem uma conotação construtiva.

  • Eu desenvolvo para dispositivos móveis desde 2003, estava começando um projeto de força de vendas, e precisava escolher uma plataforma e na época era ou Palm Top, que tinha o controle absoluto do mercado, com mais de 85%, e era mais barato, ou Pocket Pc que tinha pouca penetração no mercado e era mais caro, porém os sistemas operacionais eram incomparáveis, Windows Mobile era muito superior, então optei por Windows Mobile e o futuro me disse que eu tinha tomado a melhor decisão, ganhei muito clientes, que estavam descontentes com seus Forças de Vendas, que rodavam em Palm Top, para vocês verem, a Microsoft já virou um jogo no passado, com números semelhantes aos atuais na brica com Android, a diferença é que naquela época o mercado era quase que totalmente direcionado para o publico coorporativo, então o número de apps em cada plataforma não era tão importante, pois na maioria esmagadora das vezes, eram poucos disponiveis e sempre atendendo a necessidade da empresa, pois bem, porque escrevi isso ? pois acho que a Microsoft deveria olhar para o passado, pois lá tem muitas das respostas que ela poderia usar atualmente, por exemplo: não era só os sistemas operacionais que era diferentes, os hardwares eram incomparáveis, e ai cito 2 parceiros da Microsoft, que foram fundamentais para a virada do jogo HP e HTC que produziram aparelhos clássicos para a época e muito superiores aos produzidos pela Palm, além disso a distribuição dos equipamentos, funcionava muito bem, tanto HP quanto HTC faziam um belo trabalho, na minha opinião falta isso hoje, não adianta ter um sistema operacional excelente, se não tiverem dispositivos que despertem o desejo das pessoas e a distribuição for falha !!!

Comentários recentes